COVID-19

Segundo o Governo do Estado de Santa Catarina, “os coronavírus são uma extensa família de vírus que podem causar doenças em animais e humanos. Em humanos, sabe-se que vários coronavírus causam infecções respiratórias, que podem variar do resfriado comum a doenças mais graves, como a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) e a síndrome respiratória aguda grave (SARS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença de coronavírus COVID-19.”

Já o COVID-19 é a doença infecciosa descoberta mais recentemente causada pelo coronavírus. Tanto o novo vírus quanto a doença eram desconhecidos antes do surto em Wuhan, China, em dezembro de 2019.

Os sintomas mais comuns da COVID-19 são: febre, cansaço e tosse seca.

Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas geralmente são leves e aparecem gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não estão doentes. A maioria das pessoas se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. As pessoas idosas e as que têm determinadas doenças, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver a forma mais grave da COVID-19 e têm dificuldade para respirar. >> Pessoas com febre, tosse e falta de ar devem procurar atendimento médico.

Uma pessoa pode contrair a COVID-19 do contato com alguém que está infectado com o vírus.

A doença pode se espalhar de pessoa para pessoa através de gotículas do nariz ou da boca, que são jogadas no ar quando uma pessoa infectada tosse, cospe ou mesmo fala. Para evitar esse tipo de contágio, deve-se manter uma distância segura de 1 metro entre as pessoas.

As gotículas também podem cair sobre objetos e superfícies, onde o vírus pode sobreviver. Caso alguém toque nesses objetos ou superfícies e, em seguida, tocar nos olhos, nariz ou boca, a contaminação pode ocorrer.

A probabilidade de se contrair o vírus depende de onde você está e, mais especificamente, se um surto de COVID-19 está ocorrendo nesse local. Para a maioria das pessoas na maioria dos lugares, o risco de contrair essa doença permanece baixo. No entanto, sabemos que existem alguns lugares (cidades ou áreas) onde está se espalhando e onde o risco de contraí-lo é maior, tanto para as pessoas que moram nelas quanto para quem as visita. O Governo do Estado do Estado, a Secretaria de Estado da Saúde e autoridades locais de saúde estão monitorando todos os novos casos e casos suspeitos de COVID-19. É importante que todos respeitemos as restrições de viagens e as concentrações de massa de pessoas aplicáveis ​​a cada local específico. Se cooperarmos com medidas para combater a doença, reduziremos o risco de cada um de nós contrair ou espalhar a doença.

>> Conforme verificado na China e em outros países, é possível interromper os surtos de COVID-19 e encerrar sua transmissão. No entanto, a grande velocidade com que surtos novos surgem nos obriga a estar cientes da situação nos lugares onde estamos ou para onde pretendemos ir.

Os sintomas do COVID-19 são geralmente leves, especialmente em crianças e adultos jovens. No entanto, eles também podem ser graves e forçar cerca de um em cada cinco infectados a se hospitalizar. Portanto, é bastante normal se preocupar com os efeitos que o surto de COVID-19 pode ter sobre nós e nossos entes queridos.

Essa preocupação deve nos ajudar a adotar medidas de proteção para nós mesmos, nossos entes queridos e as comunidades em que vivemos.

A principal e mais importante medida é a higiene regular e completa das mãos e do trato respiratório. Segundo, é importante manter-se informado e seguir os conselhos das autoridades locais de saúde, como as relacionadas a viagens, deslocamentos e eventos em que um grande número de pessoas pode estar concentrado.

Outras informações específicas você encontra nos sites:

Governo de Santa Catarina https://www.sc.gov.br/index.php

Secretaria da Saúde http://www.saude.pr.gov.br/

Abaixo dicas de como se proteger:

1. Lave bem as mãos e com frequência, usando álcool em gel ou água e sabão.
Por quê? Lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel mata os vírus que podem estar nas suas mãos.

2. Mantenha uma distância mínima de 1 metro entre você e qualquer pessoa que tosse ou espirra.
Por quê? Quando alguém tosse ou espirra, gotas de fluido que podem conter o vírus são liberadas pelo nariz ou pela boca. Se você estiver muito perto, pode respirar as gotículas e, com elas, o vírus COVID-19.

3. Evite tocar nos olhos, nariz e boca.
Por quê? As mãos tocam muitas superfícies e podem “pegar” vírus. Uma vez contaminadas, as mãos podem transferir o vírus para os olhos, nariz ou boca. A partir daí o vírus pode entrar no seu corpo e causar doenças.

4. Você e as pessoas ao seu redor devem manter uma boa higiene das vias aéreas. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou com um lenço de papel quando tossir ou espirrar. O lenço usado deve ser descartado imediatamente.
Por quê? Os vírus se espalham através de gotículas. Ao manter uma boa higiene respiratória, você protege as pessoas ao seu redor contra vírus como resfriado, gripe e COVID-19.

5. Fique em casa se não estiver bem. Se você tiver febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico e ligue com antecedência para o posto de saúde, UPA ou pronto-socorro.
Por quê? Ligar com antecedência permitirá que o seu atendimento seja direcionado rapidamente ao centro de saúde certo. Isso também irá protegê-lo e ajudar a impedir a propagação de vírus e outras infecções.

6. Mantenha-se informado sobre as últimas notícias sobre a COVID-19 em canais oficiais e siga as orientações sobre como se proteger e a outras pessoas da COVID-19.
Por quê? Os canais oficiais terão as informações mais atualizadas sobre se a COVID-19 está se espalhando em sua área e sobre os cuidados corretos para se proteger.

7. Confira as últimas notícias sobre as áreas mais perigosas (ou seja, as cidades e lugares onde a doença está se espalhando mais amplamente). Se possível, evite se deslocar para essas áreas, especialmente se você é idoso ou tem diabetes, doenças cardíacas ou pulmonares.
Por quê? Essas precauções devem ser tomadas nessas áreas, porque a probabilidade de contrair COVID-19 é maior.

Lembre-se de fazer pesquisas apenas em sites confiáveis. Não é tempo de pânico, é tempo de prevenção!

#ficaemcasa

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Perdeu sua senha? Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha por email.
Nós não compartilhamos seus dados pessoais com ninguém.